O alvorecer exige o exumar da aurora!

O que prevalece fundamentalmente?

O que prevalece para além da diária imundície tóxica que contamina o sistema?

O que prevalece para além da auto-importância enfatuada, do ressentimento e da indignação?

Reprime-se o dever ser em detrimento do que é, do que prevalece e o que prevalece é a estupidez e a mediocridade, a intriga e a inveja.

A cadeia de erros avoluma-se e tornam-se estruturais sem sinais evidentes de conter a contaminação. Supõe-se não existirem alternativas.

A inquietude e a incerteza que trespasse a consciência dos criteriosos, não permitem espaço para sonhos duradouros e dourados! O que subjaz senão resistir ou resignar? Confrontar ou subjugar?

Insuportável estupidez e insolência que prevalece do amanhecer ao anoitecer privam qualquer mente sã de se importar e preocupar com o comportamento e atitudes alheias.

Fundamental instituir um método sistemático de remover os sintomas de contaminação induzida pelas diversas e divergentes colectividades sectárias, que, com propósitos obscuros alheios ao bem comum, contaminam e intoxicam toda a comunidade.

Desempenham o artifício tão diligentemente que dificilmente se descortina a farsa e as façanhas subjacentes. Conhecem o sistema e se aproveitam do sistema para proveito próprio contrariando o primado do bem comum acima dos interesses individuais.

Proclama-se desafiar e contrariar a tendência! Renunciar à estupidez humana, à incompetência, à mediocridade, à desonestidade, à falta de consistência e coerência …

Caberá aos incautos, cientemente resignados e inconformados, redefinir as regras e as instituições e assim prevalecer e caminhar para a construção de uma existência desprovida das matrizes de outrora e que supere o desentendimento induzido.

Mas, que fardo!

O alvorecer exige o exumar da aurora!